Pular para o conteúdo principal

A mafia do cateter ou Port-A-Cath

corrupção na medicina

Aqui no Nordeste a máfia médica do cateter funciona assim: 

o contato é com o próprio médico ou com a sua secretária. Na maioria das vezes é com ele porque sabem que estão fazendo algo errado e assim sendo não contraí testemunhas. 

Ao ligar o médico pergunta qual é o seu plano de saúde e você informa que é Cassi, então ele diz: pela Cassi eu não estou fazendo não. Só particular. 

Mas você pode informar: Sulamerica, do outro lado ele informa: pela Sulamerica eu não estou fazendo não. Só particular. E assim sucessivamente.

Esse é o esquema dos médicos pelo menos em Salvador, mas a malandragem deve geral. 

Liguei para a Cassi para denunciar o esquema criminoso e expliquei como estão agindo os médicos conveniados e eles tomaram nota dos nomes, CRN e  o endereço da clínica em Salvador, mas  acredito que não irão fazer nada, pois a Cassi apoia o ilícito, o erro, o crime. 

Fiz um implante de Port-A-Cath  e foi pelo plano. Não paguei por fora porque disse ao médico que achava uma desonestidade o que os colegas dele estavam fazendo, um ato ilícito pois, eles mesmo conveniados  dizem que não fazem o implante do Port-A-Cath pelo plano mas sim, particular.  Fiz a denuncia na Cassi mas,  ao sair daqui, vou oferecer representação ao ministério público também.

 Claro que depois de uma dessa ele não iria mesmo cobrar. 

Comentários