Revelaçoes sobre saúde



HONORÁRIO MÉDICO, ALGUMAS CONSIDERAÇÕES.

 o marca texto são grifos da autora do blog

O SUS quem dita o valor dos honorários é o governo federal, cuja tabela é de uma imoralidade para os procedimentos básicos e uma maravilha para os procedimentos de alta complexidade, como transplantes de órgãos, hemodiálise, cirurgia cardíaca, oncologia,(por isso o interesse em quimio, quimio, quimio) ortopedia e demais especialidades cujo uso de próteses e órteses é uma rotina.

Já os honorários dos médicos, mesmo para esse grupo especial, continuam vergonhosos. Aqui, quem lucra são os empresários da doença e os intermediários da comercialização dos medicamentos e das próteses e órteses.

Sem falar na corrupção que continua a crescer a cada governo no que diz especificamente na área da saúde pública, essa, cada vez, mais caótica, mal administrada e responsável por verdadeiro genocídio social.

Na saúde privada, as seguradoras, contribuem mais para complicar a já fragilizada relação médico paciente, com as mais absurdas limitações de consultas a solicitações de exames e até para autorizar cirurgias de urgência.(o povo necessita que aprender a se dirigir até o pequenas causas, não paga nada, além da tutela antecipada o custo do dano é de 10 mil. Vale a pena fazer valer seus direitos) Como se não bastassem esses absurdos, ditam a seu bel prazer os honorários dessa classe que de liberal só tem o nome. Os honorários continuam com baixos valores e uma tabela defasada há mais de 20 anos.

Aqui em Feira de Santana, um grupo de Cirurgia Geral cansado de trabalhar em regime de plantão de sobreaviso sem remuneração resolveu dar um basta e passou a exigir os seus direitos e só fica de plantão caso haja remuneração. Remuneração essa, solicitada, a nosso ver, muito baixa, pois, exigiu que fosse pago por um plantão de 24 hs. apenas 330,00 reais e sem direito a encargos sociais como FGTS,férias, 13º salário e demais direitos trabalhistas.
Os hospitais, por sua vez, com direito, querem repassar esses custos às seguradoras de saúde credenciadas por estes serviços. As seguradas tentam recusar o pagamento desses custos que os hospitais são obrigados a pagar.

Feito o impasse. Se as seguradoras de saúde não cederem, os hospitais, sem condições de arcar com esse custo adicional, deixarão de atender emergência nas suas unidades. É um direito que têm os hospitais, e que deve ser respeitado e entendido por todos. Os hospitais em questão são: EMEC, São Matheus, Unimed e HTO.

Caso esse impasse não seja solucionado, restará à população recorrer nos casos de urgência aos Hospitais Dom Pedro de Alcântara, Casa de Saúde Santana, Hospital Geral Clériston Andrade e Hospital Estadual da Criança.

Feira de Santana é uma cidade com uma estrutura hospitalar privada e pública aquém do seu porte, portanto, medidas urgentes devem ser implantadas para que uma rede assistência médica de urgência, já precária, não venha a causar mais transtornos para essa grande região.

O plantão de sobreaviso é regulamentado por lei e aqui na Bahia nos hospitais da SESAB estes plantões já são pagos há mais de 40 anos para algumas especialidades e com o mesmo valor do plantão presencial.

Eduardo Leite
gastroajuda@hotmail.com

Comentário
 Após a postagem havia um comentário que mais ou menos assim:
“Realmente, a remuneração para o serviço médico é vergonhosa. Sou acadêmico de Medicina, e esse é um dos meus medos”.

Meu comentário sobre o comentário: criatura nem chegou a se forma e já tem medo de uma não compensada remuneração. Imaginamos um médico dizendo que tem medo de causar a morte de um ´paciente, de deixar de cumprir o seu dever por algum motivo que fuja ao seu controle. Mas não, seu medo é quanto a remuneração. Não é contraditório é absurdo tal comentário. Isso é o que acho.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu endereço eletrônico pra que eu possa enviar resposta, porém as que não forem encaminhadas é porque os endereços escrito as pressas oou sem cuidado, estao errados