....dói

Fabi (mãe) e Ana Luiza (filha), juntas na luta contra o câncer - recebido por e-mail - abaixo leia depoimento da Fabi.
Jul 2010 - Niver de 7 anos (2 meses antes do diagnóstico)

20 Set 2010 - Dia do diagnostico através da ressonância

Out 2010 -1º Ciclo de Químio

Out 2010 -2º Ciclo de Químio

Out 2010 - Saindo animada de uma consulta

16 Dez 2010 - Recuperando dos efeitos da químio

18 Jan 2011 - Aguardando na indução anestésica

20 Jan 2011 - Tomando um sorvete de napolitano

Fev 2011 -Apos implante de cateter central para coleta de células tronco

Fev 2011 - Coleta de Células Tronco

Fev 2011 -Distraindo a cabeça enquanto faz químio de altas doses

Marco 2011 - Ida para UTI

Marco 2011 -  Comendo um macarrão com molho de tomate na UTI

Mar 2011 -Planejamento da Radioterapia  
E tão fácil reclamar da rotina. Eu que o diga. Depois de 1 mês de internação, não aguentava   mais o cheiro do pão de queijo da lanchonete do hospital, minhas costas gritavam de dor por causa do sofá (que usava como cama) e a rotina desgastante do tratamento me impedia de dormir por mais de 3 horas ininterruptas. Durante a madrugada, toda hora entrava uma enfermeira no quarto, tinha um remédio pra dar, levá-la ao banheiro arrastando um suporte de soro, quantificar a urina...

Enquanto eu me lamentava, lá estava Ana Luiza... rindo! Enfrentou uma barra pesadíssima, passou por circunstancias que você só imagina em filmes de terror e estava lá... rindo pela centésima vez do Robin Rotten, o vilão de Lazy Town. Se pra mim a rotina era ruim, pra ela deveria ser péssima, mas nada deveria nos impedir de sorrir. Que dizer, de dar gargalhada. Era exatamente isso que ela fazia.

Sabe que muitas vezes a escolha de resmungar e reclamar da vida e sempre mais facil, porque quando a raiva vem, queremos logo falar e botar tudo pra fora, aprender a viver é difícil, mas não impossível, assim como a cura dessa pequena menininha chamada Ana Luiza, quando vejo que tem tanta gente que passa por situações muito mais complicadas que as minha eu penso que não sou nada mesmo, e de nada vale a vida se eu não fizer escolhas certas, escolhas que mudaram toda a minha vida que hoje eu vivo e que ainda viverei...

 


 

"Eu segurei muitas coisas em minhas mãos e eu as perdi;

mas tudo que eu coloquei nas mãos de Deus eu ainda possuo."

 (Martin Luther King)



 

Um comentário:

  1. Que lição de vida !!
    Essa princesa é um instrumento de Deus para muita gente na Terra.

    renatavc1607@hotmail.com

    ResponderExcluir

Deixe o seu endereço eletrônico pra que eu possa enviar resposta, porém as que não forem encaminhadas é porque os endereços escrito as pressas oou sem cuidado, estao errados