Para descontrair. Leiam o que aconteceu comigo:

                  




 O tempo passou e dei início a um projeto social – é uma história muito bonita - comecei a confecção das próteses para mulheres mastectomizadas e disse a ela por e-mail e ela mandou uma frase em resposta, pra mim assim: 
 "lembre-se, a Deus o que agrada é: estive nu e me vestisse, estive sede e me saciastes, estive com fome e me deste o que comer."
 Até hoje não sei se entendi o que ela quis dizer. De nada vale da um peito em forma de prótese aos olhos de Deus, será isso? Estou fazendo as próteses não é pra agradar a Deus e sim para doar para mulheres que não têm peito e estão precisando.

 Recentemente quando ela soube que eu estava com câncer mais uma vez disse: "mandei gravar um CD, quero que você escute e reflita, vai te fazer bem nessa manhã linda e maravilhosa." 
 Naquela manhã nós nos dirigíamos pro trabalho dela - Ligou o CD, que com um fundo musical clássico, após alguns segundos uma voz masculina, muito grave começou a dizer:

 “hei, você mesma! Você que esta sofrendo com uma doença incurável já pensou o mal que você fez ao seu próximo pra passar por tudo isso? Quantas pedras você atirou no seu próximo? Quantos argueiros você enxergou no olho do teu irmão? Quantas vezes você cobiçou o que era do próximo? Quantas vezes você julgou seu irmão? Reflita sobre você, as maldades que você têm feito na vida e agora sofre meu irmão...sofra e se arrependa. (...)”

Eu simplesmente não acreditei. Fiquei boquiaberta por achar incrível o que se passava. Eu disse depois de alguns segundos ou minutos, nem sei: mas que lindo amiga, que coisa divina e como se adapta a cada um de nós né mesmo? 

 Não sei se era pra rir ou pra chorar. Eu estava querendo dar gargalhadas porque é pra estatelar de rir um troço desses.  

 A criatura ainda disse as minhas filhas, duas crianças, na época, do auge do meu adoecer, que eu estava muito esperançosa, mas, que meus dias estavam contados. Que elas se preparassem para a minha morte. As meninas, na época uma de 12 outra de 10, não se abalaram. Graças a Deus. Acharam que era louca.

Isso é assunto que se trate com duas crianças ? Sorte que minhas filhas são equilibradas e viam também equilíbrio da minha parte. Então, elas não comentaram nem deram crédito, somente muito tempo depois, mais de um ano, quando estávamos conversando sobre os dias difíceis do meu tratamento foi que elas lembram desse episódio.
Em outra oportunidade ela disse-me: 
 "Deus não habita em um corpo doente", eu respondi: Esse seu deus é doente e covarde. Ele deve descer do céu porque eu vou ficar no lugar dele. Pois eu tenho 3 filhos, se um deles adoecer, é com ele que eu vou dormir, pois os outros estão sadios. Onde já se viu um deus assim. Ela ouviu e estremeceu nas bases. Senti .Ah! Estremeceu, senti o abalo.


Um comentário:

  1. Linda história, rsrsrs Obrigada por compartilhar, deu uma quebrada no gelo.

    ResponderExcluir

Deixe o seu endereço eletrônico pra que eu possa enviar resposta, porém as que não forem encaminhadas é porque os endereços escrito as pressas oou sem cuidado, estao errados