Revista científica Sapiência da FAPEPI

Essa semana (10 de março de 2011) recebi em PDF a Revista científica Sapiência da FAPEPI – Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Piauí. Edição 23. Quem enviou foi um visitante deste blog. Fiquei feliz demais. Na capa trazia um homem com o corpo coberto por galhos de avelós. Pensei logo: acho que agora a farrinha dos oncologistas e dos fármacos estão com os dias contados, pois uma plantinha vinda do sertão derrubará a indústria do câncer.

Iniciei a leitura muitíssimo feliz, mas não custou muito para eu descobrir o engodo de sempre. O que querem eles? Na verdade querem impedir que usemos o avelós como  fazemoa.

Eles desejam que continuemos a contribuir com o enriquecimento dos médicos e dos fármacos usando as drogas que eles manipulam. Primeiro eles dizem em vários parágrafos que a planta é boa, muito boa com a finalidade de nos convencer de que eles estão mesmo interessados em nossa saúde para em seguida nos convencer que não devemos usar da forma que usamos e sim, só devemos usar após os testes que eles estão desenvolvendo.

Eles estão tentando juntar ao avelós várias drogas de modo que ataque outros órgãos e assim, venhamos a necessitar de várias outras drogas. Então desenvolvendo o
AM10, o número 10 é um código que no futuro deverá ir aumentando para 26, 38, 55, 96 e assim sucessivamente. Esse código indica para os pesquisadores que por enquanto ele ataca apenas dez órgãos, assim como o TAMOXIFENO, a droga que os médicos dizem que previne a recidiva se não usar durante cinco anos.

O TAMOXIFENO destrói o endométrio, o ovário, o últero, a visão, os dentes, provoca varizes, prisão de ventre, incontinência urinaria, artrite reumática, urticária, artrose, hérnia de disco, equizema, acelera o batimentos cardíacos, por fim destrói o fígado e os rins. Em cinco anos de uso algumas pessoas não prestam nem para morrer.

Os remédios todos, sem exceção são feitos a partir da medicina do povo, de plantas. Dos conhecimentos africanos, indígenas e daí acrescentados a eles drogas pesadíssimas para que precisemos de outros profissionais que vão nos receitar tantas outras drogas das quais precisaremos de mais outras e outras e assim sucessivamente, como uma bola de neve.
Enquanto pessoas morrem de câncer eles dizem que estão pesquisando o avelós e que não a usemos sem a conclusão das pesquisas. Eu e mais uma centena de pessoas usamos ele puro, natural e assim, não precisamos de quimioterapia, nem de radioterapia nem de outros médicos nem remédios e convivemos com o câncer dia a dia. O cancer é melhor que os medico, que os farmacos e que os planos de saúde. O câncer não faz medo, ele não mata o que mata é exatamente as drogas pesadíssimas que usamos. O coração não aguenta.Ninguém nunca morreu de cancer, morre com as drogas. A morfina por exemplo, ela é péssima para a célula maligna, faz com que ela se prolifere com mais intensidade
 
VEJA PARTES DA MATERIA:
“Os estudos científicos visando à descoberta de um medicamento seguro e eficiente para o tratamento do câncer ainda estão protegidos sigilosamente e nem mesmo publicações relativas aos resultados dessas pesquisas foram apresentadas”.
“As pesquisas são recentes, iniciadas há apenas seis anos e os avanços já passam da fase 2, ou seja, em pouco tempo a comunidade internacional divulgará se o mundo contará com o primeiro medicamento oncológico disponível no mercado”.
“Ainda envolto em sigilo que a ética e o rigor científico exigem nas diversas fases das investigações, um estudo em especial, vem despertando a atenção dos pesquisadores e também da sociedade: a produção de um medicamento eficaz no tratamento e cura de doenças graves, como o câncer, oriundo do látex de uma planta muito comum no Nordeste brasileiro: o avelós: 
As partes de azul são grifos meus:
A planta possui componentes químicos, que de acordo com a literatura, possuem ação anticancerígena, matando as várias células humanas de câncer”.(humanas mas, os testes são em animais. Os animais são humanos? )
 
“Sabe-se pela literatura que a planta possui ação anticancerígena. Nós estamos buscando provar essa possibilidade, o que vem se confirmando. Temos comprovado apenas um caso de uma paciente terminal, que foi curada com o medicamento produzido à base do aveloz”,(pois eu sei de vários casos inclusive o meu. quando se diz um, é caso pensado, o intuito é um só: convencer as pessoas a não usarem) disse. o pesquisador paulista. Pianowski explicou que a droga tem o potencial para, caso não haja a regressão da doença, pelo menos conter ou reduzir o avanço”.
O látex da planta pode ser irritante e cáustico à pele. Se o látex atingir os olhos, pode destruir a córnea. O uso “Envolvendo uma equipe especializada formada por farmacologistas, químicos, médicos oncologistas, entre outros, que comprovaram que um medicamento É MUITO BOM, e ainda se encontra em fase de testes”.(estão preparando o leitor para não usar o avelós, veja o resto)
 
Estudos bastante diantados com medicamentos à base do aveloz mostraram que a planta é muito boa e possui mecanismos de reparo das células defeituosas, sendo capaz de inativar as mutações que formam essas células defeituosas”.
 
“Estudos iniciais comprovaram que o látex do aveloz possui um grande potencial anticancerígeno. Uma das hipóteses para essa ação seria o seu efeito antitumoral e citotóxico, ou seja, a planta possui mecanismos de reparo das células defeituosas e é capaz de inativar as mutações que formam essas células defeituosas, além de programar a morte dessas células tumorais”. (vejamos aqui que eles só repetem o que foi dito acima com palavras cada vez mais difíceis para ir construindo no nosso inconsciente a confiança)
“Sua importância para a ciência é que tem sido popularmente utilizada no tratamento de úlceras, cânceres, tumores, verrugas e outras doenças. Vários relatos indicam a presença de efeitos tóxicos (começou aqui, com o efeito tóxico. È a primeira investida para amedrontar o leitor ou que esta usando. Prossigamos) nesta planta. Muitas espécies da família Euphorbiaceae, assim como o aveloz, secretam um látex que é rico em terpenos, como os ésteres de phorbol, euphol e ingenóis, sugerindo que dentre os seus constituintes químicos, a planta pode apresentar tanto efeitos tóxicos, como um grande potencial terapêutico. Quanto à toxicidade, os ésteres de phorbol presentes na planta são extremamente irritantes e têm sido documentados clinicamente que promovem tumores, induzindo a formação do linfoma de Burkitt e carcinoma da nasofaringe. (adentrando cada vez mais na mente do leitor e conquistando a sua confiança com as palavars difíceis, dando a entender que querem o nosso bem. Não nos enganemos que de boas intenções....)
excessivo da planta pode provocar vários efeitos, incluindo intensa queimação, pálpebras inchadas, dor ardente do globo ocular, visão borrada, aerosão do epitélio córneo, acuidade visual diminuída, fotofobia e cegueira temporária
Sendo assim, (eis a cartada de mestre)Amazônia Fitomedicamentos em parceria com o laboratório Pianowski & Pianowski pesquisaram e desenvolveram o produto AM10 destinado ao tratamento do câncer. Com investimentos da iniciativa privada, as investigações são promissoras e novos produtos fitoterápicos também extraídos do aveloz estão sendo testados para o tratamento de outras patologias, como as dores de caráter crônico”. 
A expectativa é que até 2011 estejam à venda nas farmácias. Até aqui, estima-se que os investimentos com as pesquisas sejam da ordem de R$ 30 milhões. (por esse valor a droga vai sair muitíssimo cara. As drogas para o tratamento de câncer custam assim, 600,00 os mais baratos, veja o Aromazim, até o mabitera 10,000,00 reias e outros e outros. Meu Deus!!!!!!!!
Nas fases iniciais, foram realizados estudos toxicológicos em camundongos e também em cães. Só depois passaram a ser realizados em humanos. A análise conjuntados resultados demonstrou que o AM10, quando administrado agudamente pela via oral em camundongos de ambos os sexos, apresenta boa tolerabilidade e reduzido efeitos tóxicos agudos importantes.
O chefe das pesquisas com o AM10, que já foi patenteado por ele e sua equipe de pesquisadores, Dr. Luiz Francisco Pianowski, farmacêutico com doutorado em Tecnologia Farmacêutica pela Universidade do Porto, disse que o Projeto AM10 é a fração farmacologicamente ativa, extraída do látex do aveloz, padronizada em 70 – 80% do triterpeno pentacíclico euphol. Em outras palavras, o AM10 é o medicamento quimioterápico que pode tratar e possivelmente curar alguns tipos de cânceres. (e em outras palavras: é a bola da vez, é agora. Encontramos o mapa da MINA). É a descoberta mais importante da pesquisa, iniciada há cerca de seis anos. Os estudos já realizados comprovaram que a planta, muito utilizada pela medicina popular, ingerida na forma de garrafada para tratamento de várias doenças, tem ação citóxica, porém o AM10 foi mais potente que a garrafada (isso, veja que maravilha. O remédio deles que ataca, por enquanto dez órgãos, só pode ser mais potente que a garrafada kkkkkkkkkkkk)
Esses estudos continuam em andamento e estamos finalizando um trabalho para ser divulgado em revista internacional com essa descoberta (analgesia)”, destacou Calixto, que é professor do Depto.
A primeira fase do teste em humanos foi feita no Hospital Albert Einstein, em São P a u l o , há cerca de um ano. O estudo clínico incluiu pacientes com idade acima de 18 anos, capazes de tomar a medicação oral, com diagnóstico histológico de tumores sólidos que progrediu após tratamento convencional e que teve performance status ECOG na escala menor ou igual a dois e uma expectativa de vida de pelo menos três meses. (muitas palavras assim, até nos confunde né. Pensamos que eles são DEUS. É Deus, é ele mesmo. Gente é DEUS)
. Aqui há uma contradição: acima diz que os estudos já comprovaram que alivia a dor e aqui diz que pode aliviar a dor. Também textos dessa mesma matéria eu já havia lido e publicado em meu blog em 2006 do Hospital Albert Einstein que estuda há muito anos, diz lá que são 16 anos, que estudam o avelós. E enquanto os pacientes morrem de câncer eles continuam dizendo: não tome o avelós, espere que estamos pesquisando para fazer um remédio livre de toxidades. Os analfabetos acreditam. Há pessoas formadas e analfabetas. As faculdades estão aí para isso.
Sapiência O que é o AM10?
Pianowski O AM 10 é um extrato padronizado com os ativos internos mensurados e controlados. A partir dele estabilizado e padronizado, fizemos todos os estudos pré-clinicos e hoje os clínicos.(obrigada. Entendi tudo) (Revista científica Sapiência da FAPEPI – Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Piauí Nº 23 2011)

6 comentários:

  1. No primeiro parágrafo e no sétimo tem duas palavras em vermelho, clicando nelas abre as seguintes páginas: primeiro a da revista e segundo, a pesquisa que confirma que a morfina não é bom para quem tem câncer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caríssima Helena, gostaria muito que você me esclarecesse sobre esses medicamentos populares. Alguns falam dos poderes da babosa, outros do suco de noni, outros da graviola, agora também do avelóz. Até hoje, não ouvi nada conclusivo sobre esses medicamentos populares e fico feito cego em tiroteio. Convivo hoje com minha esposa se tratando de um câncer de mama, meu pai com um câncer de próstata e um grande amigo com um câncer de pulmão. Gostaria muito de ajudá-los e estou angustiado e com uma sensação terrível de impotência. Por favor, me ajude, me envie receitas, me explique como conseguir os componentes e como fazer e administrar. meu email é: julioamerico@hotmail.com . Espero seu retorno urgente!!! Abraço Júlio Américo

      Excluir
    2. Julio, sou usuária do avelós ou aveloz a pouco tempo. Comecei minha pesquisa por este blog. Lí tudo e depois encontrei este grupo no facebook: https://www.facebook.com/groups/167733076632096/
      Pesquise, se informe e tire suas próprias conclusões. Por não ser um medicamento e nem ser aprovado pela ANVISA, não há venda do extrato(ainda bem), mas muitos usuários e pessoas beneficiadas pelo uso do extrato que estão disponíveis para orientar e até fornecer. Entre no grupo e relate seu caso e suas angustias. Muitos irão entrar em contato com você. Abraço fraterno, Eliane

      Excluir
  2. Helena,
    Que bom que podemos contar com pessoas feito você.
    Fui cnfirmada, recentemente, com carcinoma invasivo na mama direita; tumor de padrão sólido, em torno de 2cm ou um pouco mais. Estou fazendo uso bicarbonato e limão, bebo em jejum um copo americano de água com suco de um limão e uma colher café de bicarbonato de sódio, mexo bem a mistura se torna efervescente e a bebo rapidamente. Gostaria muito de tomar o Avelós. Ainda não fiz a cirurgia, mas o médico já me informou que pela localização do nódulo, será uma mastectomia e terei de me submeter à quimioterapia, e, talvez à radioterapia. Acredito que o Avelós poderá, com a fé que tenho em Deus, me livrar ou reduzir as sessões de quimioterapia que tanto me assustam e afastar a necessidade da Radioterapia. Grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. Helena,

    Estou em São Paulo e preciso saber como e onde encontrar a aveloz preparada, para que minha mãe possa se restabelecer da cirurgia que fará para retirar um tumor do intestino semana que vem.

    Obrigado.
    Orlando
    orlandoprietojunior@hotmail.com

    ResponderExcluir
  4. Helena,
    por favor me ajude a encontrar o Avelos na cidade de São Paulo. E orientações sobre como usá-lo, vc tem?
    Muito obrigada por sua matéria. Ela dissipou todas as minha dúvidas sobre usar ou não o avelos. Vc foi minha luz.
    Desde já muito grata,
    Rosa Marina
    bojema@terra.com.br

    ResponderExcluir

Deixe o seu endereço eletrônico pra que eu possa enviar resposta.