Pular para o conteúdo principal

CHAT: Perceba como a ajuda psicológica é importante para o tratamento do cancer.

Convidada: Dra. Maria Teresa Veit, coordenadora do departamento de Psicologia da ABRALE e coordenadora do comitê científico de psicologia da ABRALE.

13:02:00 - apresenta-se para : O apoio psicologico para um paciente em tratamento, deve ser feito apenas por um profissional?

13:03:35 - convidado : Quando falamos em apoio psicolõgico, na verdade estamos nos referindo de forma ampla a tudo o que pode confortar e fortalecer em termos emocionais. Esse apoio pode, sim, vir de pessoas leigas e dar resultados muito efetivos. No entanto, o suporte profissional dispões de t~ecnicas e conhecimentos especiais e, em alguns casos, não pode ser substitído por auxílio de outra natureza.

13:04:07 - : bom dia, qual a importância da psicologia no tratamento do cancer?

13:05:52 - convidado : Entendemos que o câncer, assim como as demais doença, não atinge somente o corpo. Mas tem efeitos, também, nas emoções e em outras esferas de nossa vida. Assim, o tratamento do câncer, em verdade, deve ser o tratamento da PESSOA, em todas as suas dimensões: física, psíquica, social e espiritual. Portanto, faz diferença se você recebe um tratamento de doença ou ou tratamento de pessoa.

13:06:34 - : Olá, meu marido tem linfoma, e anda muito desanimado, acho até que está em depressão. Porém segue todo o tratamento. Queria saber o quanto isso pode influenciar em sua recuperação?

13:08:22 - convidado : Como disse na questão anterior, buscamos o cuidado da pessoa por inteiro. Se seu marido apresenta sintomas depressivos, estes merecem cuidado. Primeiro porque causam sofrimento a ele e preocupação aos familiares. Segundo, porque seu organismo está "perdendo" energias em algo que pode ser tratado de modo a concentrar todo o poder de luta do organismo no enfrentamento do linfoma.

13:08:53 - : BOM DIA !!! E o sentimento de medo, como lidar com isso? Tenho muito medo de morrer.... Sou paciente de leucemia.

13:10:17 - convidado : Apesar de que a morte faz parte da vida de todos - com ou sem leucemia - o medo de se deparar com esse desconhecido é real e atinge a maior parte das pessoas. Conforme o grau desse medo, é indicada uma ajuda profissional para amenizá-lo e permitir que o cuidado geral com a saúde aconteça de modo mais efetivo e menos sofrido.

13:10:42 - junior -pb : sinto muitas dores com o remedio que tomo (glivec) como eu poderia agir diante da dor ? poderia sair , será que é coisa de minha cabeça ??

13:13:08 - convidado : Falamos que a dor, de fato, compõe-se de quatro tipos específicos de dores: física, psíquica, social e espiritual. É preciso cuidar de todas elas porque cada uma pode interferir na outra, tornando-a ainda mais "doída". Mesmo nos casos de importantes dores físicas - resultantes de cirurgias de grande porte, por exemplo - há recursos como meditação, relaxamento, hipnose e outros que aliviam muito. Normalmente "não é coisa da sua cabeça". A dor doi de verdade !

3:13:38 - : no momento em que um paciente recebe um diagnostico de LMC onde ele não tem nenhum sintoma ele se sente ainda mais fragil. As vezes essa fragilidade pode se tornar uma depressão. Nesse caso qual a melhor abordagem psicoterapica que seria mais adequada?

13:14:28 - convidado : Abordagens psicoterápicas são escolhas dos profissionais que as conduzem. Na nossa opinião, a Psicoterapia Breve Focal oferece excelentes resultados em prazo relativamente curto. É como trabalhamos aqui na ABRALE

13:15:22 - : a dor tambem esta relacionado ao lado psicologico ??

13:16:15 - convidado : Corpo, mente e espírito são fortemente interligados e, assim, é difícil que um esteja bem e que o outro esteja em sofrimento. Sim, a dor tem seus componentes psicológicos, o que não significa que seja imaginária.

13:16:32: Ha comprovação efetiva que o estado de espirito da pessoa possa refletir na busca pela cura?

13:17:43 - convidado : Sim. Há inúmeros trabalhos que trazem evidências de quanto a disposição do indivíduo pode contribuir para que ele aceite e colabore com os tratamentos, que tenha melhor qualidade de sono e de vida em geral, que construa projetos de vida saudáveis e venha a lutar por eles.

13:18:: boa tarde... minha mãe toma glivec e tem engordado muito... ela sente muita falta de ar. ela se cansa demais numa simples ida ao supermercado... isso é normal?

13:20:53 - convidado : Aproveito esta oportunidade para lembrar a todos de que a ABRALE oferece atendimento psicológico individual e em grupo em sua sede, em Sao Paulo. Oferece também outras modalidades de apoio psicológico que incluem o manejo do estresse, grupos de esclarecimento, etc. Além disso, somos credenciados pelo Conselho Federal de Psicologia para o atendimento via internet. Em nosso site estão as orientações para todas as formas de atendimento.

13:28:03 - convidado : O apoio psicológico on line foi desenvolvido para que moradores de todas as partes do país possam beneficiar-se da orientação psicológica. Isso vale também para pacientes de São Paulo que estejam impossibilitados de se locomoverem.

13:29:10 - convidado : Todos os atendimentos prestados pelo setor de psicologia da ABRALE se estendem também a familiares e cuidadores informais, além dos profissionais de saúde

13:30:52 - Lia : Boa tarde dra. MAria Teresa. Meu cunhado geralmente fica muito tempo internado. Como lidar com o período prolongado de internação porque é sempre uma experiência ruim...

13:33:41 - convidado : Você tem razão. A internação tira a pessoa de sua vida normal, gera irritação, saudades e muitos outros desconfortos. Mas é necessária e, na maior parte das vezes, inevitável... Assim, é preciso encontrar algumas formas de amenizá-la. Vale levar um "kit" para o hospital, que tenha alguma coisa de interesse da pessoa internada: por exemplo livros, revistas, trabalhos manuais... Além disso, quando possível, a comapanhia de pessoas queridas por alguns momentos, ajuda a passar o tempo e a distrair.

13:34:28 - sonimar fala para convidado: orientação. possível filho com F20-0; com comprometimento cognitivo; não aceita trabalho assistido, vc poderia me sugerir alguma maneira de tentar convencê-lo?

13:36:38 - convidado : Sonimar, você aborda um dos grandes desfios do nosso trabalho que é a mobilização do paciente. De modo geral, a experiência nos mostra que somente o sofrimento psíquico "convence" alguém a aceitar ajuda psicológica. No seu caso, eu tentaria negociar por partes. Primeiro, tentando levá-lo a aceitar apenas um contato com o psicólogo(a) e, depois, deixar que o profissional faça sua parte. Tomara que consiga interessá-lo pelo processo de ajuda que, acredite, ajuda muito.

13:37:13 - junior pb : engraçado, a valeria logo acima falou que sua mae toma GLIVEC e engordou. Eu tomo e ja perdi 08 kg em um mes de tratamento, sera isso uma questao psicológica? tipo compulsão por comer, será uma forma de compensação?

13:39:13 - convidado : Junior, seu comentário reafirma o fato de que não somos máquinas em que cada peça funciona separadamente. Somos um conjunto que determina a forma final de reação, como resultado da interação de tudo aquilo que o compõe. Daí as diferentes reações individuais a um mesmo medicamento. Dentre outros, há mesmo fatores psicológicos que interferem levando, por exemplo, à compulsão alimentar. Difícil ou impossível separar as partes e tratar separadamente de cada pedaço!

13:39:45 - Lia : E dra. Maria Teresa, câncer pode causar depressão?

13:41:27 - convidado : A situação de uma doença como câncer pode levar a reações depressivas. Também os medicamentos, em alguns casos, favorecem reações depressivas. Temos diversos trabalhos científicos apontando que a incidência de depressão entre pacientes com câncer é muito maior do que a média geral da população. Assim, temos por certo que existe uma relação importante entre câncer e depressão.

13:41:49 - fabio : Dra. como lidar com a morte precoce de um ente querido por causa da leucemia?

13:44:44 - convidado : Existem várias mortes. Aquela que aceitamos melhor, a de uma pessoa velhinha que se vai sem sofrimento, de forma natural. Mas existem outras mortes que afetam muito a quem fica. Por exemplo, a morte de uma paixão, a morte de uma criançca mesmo antes de nascer, as mortes frutos de violência ou que atingem pessoas muito jovens. Você menciona a perda de um jovem por leucemia está entre essas que fogem ao que aceitamos como natural. Como todas as demais, gera luto. E, para o luto, há terapias específicas que, embora não devolvam aquilo que foi perdido, ajudam a reestruturação emocional de quem ficou.

13:45:28 - valeria : desculpe.. usei o exemplo da falta de ar para continuar... minha mãe usa isso para dizer que não tem mais vontade de sair de casa.. porque está inchada e se sente feia também... ela está muito triste, mas evita qualquer tipo de ajuda.. tento convencê-la a ir aí, mas ela diz que fica muito cansada para pegar o metrô.. como consigo convencê-la?

13:47:16 - convidado : Valéria, falei há pouco que é muito difícil ajudar quem não quer ajuda. Ás vezes acontece que a pessoa imagina que, se não estiver mais sofrendo, os familiares a abandonarão e não mais se dedicarão a ela. Quem sabe você assegura à sua mãe que quer vê-la bem para que aproveitem muito a convivência uma da outra e ainda imaginem muitas "aventuras" juntas. Só que, para isso, ela precisa estar bem...

13:47:34 - valeria fala para junior pb: oi junior, pode ser sim.. porque acho que ela está depressiva.. e, como já é gordinha, desconta na comida.

13:48:49 - Lia : A minha irmã que o acompanha nas internações. Aliás, só ela quer acompanhá-lo, pois não confia em mais ninguém. Eles têm apenas um filho que mora em outro país, assim percebo que minha irmã acaba fazendo mal para ele. O que posso fazer para ajudá-la mais? Ela é muito resistente e orgulhosa...

13:50:55 - convidado : Lia, você mesma já percebe que, talvez, sua irmã precise de ajuda. Talvez ela esteja se "apoderando" de todo o cuidado do marido com a ilusão de que assim garante que ele fique para sempre com ela, independentemente do curso da doença. Converse com ela e procure mostrar que, embora difícil, essa fase pode ser vivida de forma menos dolorida e que isso fará bem para todos. Levantará o veu de peso que parece ter caído sobre toda a família.

13:51:19 - Bel pergunta para convidado: Meu marido foi encaminhado para a equipe de cuidados paliativos. Isso quer dizer que ele vai morrer?

13:53:34 - convidado : Bel, TODOS nós vamos morrere, lembre! Mas a decisão por cuidados paliativos significa que a maior ênfase será dada ao alívio de todos os tipos de dor e desconforto que possam atingir seu marido. Não quer dizer que, se algum recurso de cura vier a ser possível (novas drogas ou procedimentos), isso não será usado. Possivelmente, no estágio atual dos conhecimentos e diante do quadro clínico de seu marido, a equipe entendeu que os esforços devem ser concentrados em sua qualidade de vida.

13:53:37 - junior pb fala para valeria: valeira, ela sente muita dor no corpo, ossos e musculos??

13:54:37 - psico pergunta para convidado: Como lidar com uma pessoa que colocou permanentemente a bolsa de colostomia?

13:55:33 - convidado : A convivência com a colostomia é mesmo difícil e requer uma adaptação de todos. Habitualmente essa orientação é dada pela equipe que realizou o procedimento

13:55:34 - junior pb fala para valeria: meu msn é coxinhacg@hotmail.com.br, tem o br tambem, me add para que possamos trocar experiencias a cerca da LMC.

13:57:10 - drica pergunta para convidado: Minha menina foi privada do seu mundo, a causa um linfoma leucemizado. Começou o tratamento em abril, teve ajuda durante alguns meses da psicologa, mas depois achamos que o trabalho nao estava rendendo, até porque nao gostava da abordagem, ela falava muito de medo e morte. Nao sei lidar assim com a doença. Muitas vezes a melhor psicologa da criança é o proprio amor de todos em volta. Tento passar alegria e desmitificar a propria doença. Falamos do assunto cancer como parte da vida. Quando voltarmos para nosso lar, por enquanto estamos em casa de parente, pretendo que minha filha tenha uma psicologa com um trabalho mais lúdico. Por enquanto ela está lidando muito bem com a situaçao. Nao é uma criança triste por estar privada de frequentar o colegio. Conseguiu passar de ano e está bem motivada com a vida que se segue. Será que é preciso de uma psicóloga?

13:59:53 - convidado : Drica, antes de tudo, parabéns pela disposição e coragem que você mostra, assumindo a parcela essencial do cuidado com sua filha. Os resultados estão aí para mostrar seus acertos. Mas preocupa-me o peso que isso está representando para você. Há outros filhos? E a SUA vida ? Muitas vezes, um profissional assume parte desse fardo para que tudo flua melhor, sem tanto sacrifício e renúncia. Por outro lado, é difícil opinar sobre a melhor abordagem, dado que há fatores como idade, maturidade, manifestações psíquicas, tudo precisa ser avaliado e pesado com cuidado.

14:00:31 - Bel pergunta para convidado: ele está sendo muito agressivo. Eu não aguento mais suas respostas bruscas...

14:01:12 - convidado : Bel, há apoio psicológico na equipe de cuidados paliativos? Vale a pena procurar... Se quiser, marque um horário em nosso atenidmento online.

Comentários

  1. Sinto uma forte dor no coração, ja fui no médico ele disse que não tenho nada, mas sinto uma dor forte, isso pode ser depressão?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe o seu endereço eletrônico pra que eu possa enviar resposta.