Pesquisas sobre o AVELÓS


-->
Iniciei uma busca para saber quem descobriu o avelós. Encontrei um dos relatos mais antigos: Frei Luiz nasceu, em 29 de junho de 1872 na aldeia de Marienfield (que quer dizer campo de Maria), na região de Westfalia, na Alemanha. E desencarnou no dia 8 de abril de 1937 em Petrópolis com quase 65 anos. Desses 65 anos de vida, ele passou 43 no Brasil, chegou aqui, à Bahia, em 10 de julho de 1894 com 22 anos, como noviço franciscano. (...) Certa tarde, quando Frei Luiz doente e fraco, estava sentado à sombra de uma mangueira no pomar, viu chegar perto dele um velhinho, simplesmente vestido, que lhe disse (como se estivesse lendo seus pensamentos) que não desanimasse: ficaria curado se tomasse o conteúdo leitoso de um vidro que tirou do bolso. Ante o olhar brilhante e incisivo do velhinho e de sua suavidade paternal, Frei Luiz, persuadido, aceitou o convite e bebeu o estranho remédio! O velhinho sorriu e afastou-se (...) Mais tarde, por mais que perguntasse, Frei Luiz não conseguiu identificar seu benfeitor - ninguém sequer o vira e o porteiro não deixara pessoa alguma entrar (...) Certamente tratava-se de uma entidade materializada trazendo do Espaço, o remédio necessário, pois, logo após, os escarros de sangue cessaram e Frei Luiz se curou. Pergunta-se se o estranho líquido não conteria também a seiva da planta "aveloz" tão comum no nordeste e tão útil no tratamento de diversas enfermidades, até do câncer (...) Do livro "Frei Luiz, o Operário do Brasil" autor Dr. Luiz da Rocha Lima.

Em outro livro, “Médicos do Espaço” de Roni Lima, narra que “o médico do Espaço João Pedro passou a materializar no Lar de Frei Luiz e esse médico informara que foi filho de sírios a cerca de 300 anos e que viveu no interior de São Paulo e afirmou ter sido iniciado em operações espirituais. Foi também João Pedro que revelou a Dr. Lauro Neiva que a planta avelós poderia ser usada nos casos de câncer. A mãe de Luaro Neiva encontrava-se morrendo por causa de um linfosarcoma pulmonar e o médico revelou a ele a cura através do avelós ensinando a usar da seguinte forma: uma gota do látex em um copo dágua e administrar ao paciente uma colher de chá de hora em hora e que depois das primeiras horas a senhora já começou a se alimentar. Dr. Lauro Neiva realizou várias experiências com a planta e em 1966 publicou um livro: “Avelos a planta que mata o câncer”. Por causa de suas pesquisas, em que defendia o poder da cura do aveloz, não só nos casos de câncer como também nos de outras doenças como a lepra, foi duramente combatido pela comunidade médica oficial”.
Estudos indicam que a substância age nas células do câncer induzindo a apoptose — uma espécie de suicídio celular. “É o que chamamos de morte celular programada”, explicou ao G1 Auro Del Giglio, gerente do programa integrado de oncologia do Hospital Israelita Albert Einstein e um dos coordenadores do estudo. “Em células normais, é um procedimento que acontece para a renovação das células, com as antigas dando lugar às novas. Mas nas células do câncer isso quase nunca acontece, e a idéia é exacerbar essa tendência.”

2 comentários:

  1. Onde posso comprar o livro Frei Luis, o operário do Brasil?
    telogomes1@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  2. Sobre o aveloz, eu o coomprei em 1994 , era tintura , eu diluía em bastante água e tomava uma colher a cada hora. Hoje não tem à venda, dizem que está proibido. Como faço? Meu email é margaridapianista@gmail.com Aguardo orientações, pois fui acometida de outro tumor e está espalhando.

    ResponderExcluir

Deixe o seu endereço eletrônico pra que eu possa enviar resposta.