[LINFOMA DE HODGKIN] Marcelle Costal - Espaço de Ajuda de superação do câncer - Depoimento

ESPAÇO DO PACIENTE - Oncoguia

Marcelle Costal - Olá meu povo corajoso! Meu nome é Marcelle Costal, tenho 24 anos e sou natural do Rio de Janeiro. Carrego sempre muita fé e coragem em minha caminhada. Sou Católica, recém casada e cheia de planos. Também sou historiadora e não é a toa que quando descobri o câncer quis documentar minha trajetória e que tudo fosse público. Desejei libertar minha história para que ela voasse bem longe.

Instituto Oncoguia - Qual seu tipo de câncer ?

Marcelle Costal - Tenho o tal Linfoma de Hodgkin Clássico, com esclerose nodular.
                                           
Instituto Oncoguia - Como foi que você descobriu que estava com câncer?

Marcelle Costal - Tudo tem um começo e eu sou feita de recomeços. Em setembro de 2013, provando as guloseimas do meu casamento, senti uma forte dor na região do tórax e tive que ser carregada para casa. Fui à emergência e ficou constatado que eram gases, e até concordei a priori, pois sou operada da vesícula. Depois de casada comecei a sentir novamente as dores e tinha muitas crises de coceira e cansaço. Em fevereiro de 2014 fui começar um tratamento dermatológico e minha doutora solicitou um raio-x do tórax. Depois de uma tomografia computadorizada fui encaminhada para o pneumologista e lá ficou constatado que havia um tumor ósseo no 5º Arco Costal à direita, bem abaixo da mama. Daí passei a ser chamada de Marcelle Costal do arco costal, muita coincidência de apresentar uma doença com o meu sobrenome. Fui encaminhada para a Onco-Ortopedia do HUCFF e após o resultado de uma biópsia cirúrgica descobrimos que havia o Linfoma. Uma apresentação bem rara para o caso de Linfoma de Hodgkin. Na hematologia com o estadiamento, descobrimos que haviam dois gânglios, um no mediastino e outro na clavícula esquerda, somente perceptíveis na Cintilografia com Gálio.

Instituto Oncoguia - Como você ficou quando recebeu o diagnóstico? 

Marcelle Costal - Foi no dia 6 de junho de 2014 que descobri que de fato tudo em minha vida iria mudar. Quando ouvi do meu doutor e da equipe "é maligno" "você tem Linfoma" apenas confirmei o que já sabia em meu interior, eu sabia que não iria ser fácil. Todavia, quando ouvi a palavra quimioterapia, não aguentei e chorei muito naquele momento. Eu tinha uma visão muito errônea sobre o que era quimioterapia, quimioterapia me soava a morte. Não! Quimioterapia para mim hoje é vida, é chance é sempre fazer novos amigos.  
Instituto Oncoguia - Qual foi a sua maior preocupação neste momento?

Marcelle Costal - Minha maior preocupação foi minha família e como eles iriam reagir a tudo. E graças a Deus reagiram muito bem, não se entregaram e me deram um choque de ânimo e coragem. Como disse, também sou recém casada, tenho apenas 10 meses de casada e pensei que talvez a alegria que estava sentindo iria escorrer  pelas minhas mãos. Meu casamento foi algo muito desejado por nós, esperado e planejado. Abrimos mão de muitas coisas para viver o tempo do namoro como a nossa religião aconselha, por que assim desejávamos. E agora que podemos realmente viver a nossa vida de casados teremos que adiar novamente os planos que sempre sonhamos. Um deles é ter filhos, essa foi e é a minha grande preocupação. Todavia, se não pudermos ter filhos biológicos, mesmo assim seremos pais de alguma forma, assim como minha tia que não pode ter filhos é também uma mãe para mim e tem um casamento fecundo em amor. E seremos felizes em tudo o que se apresentar a nós.
Instituto Oncoguia - O que aconteceu depois disso?

Marcelle Costal - Realmente fiquei muito tranquila! Eu penso que a vida é feita de desafios e a cada dia é uma superação. Sempre foi assim e com a doença não iria ser diferente. É muito fácil rir e tocar o barco tendo este espírito dentro de si. Não importa o que aconteça, serei feliz por que sempre fui feliz, por que fui feita para ser feliz!

Instituto Oncoguia - Você já começou o tratamento?

Marcelle Costal - Sim. Terminei o meu primeiro ciclo do protocolo ABVD no dia 23 de julho. Serão seis ciclos, ao todo 12 aplicações.

Instituto Oncoguia - Em sua opinião, qual é o tratamento mais difícil? 

Marcelle Costal - A parte mais difícil é ter que ficar em casa quando está frio, não ver meus amigos por que estão gripados e não poder frequentar os lugares que gosto por que são aglomerados. Sempre fui muito ativa, adoro uma bagunça e esta parte é muito dolorosa, até mais que a Dacabarzina que quando entra em minhas veias vai ardendo tudo.
Instituto Oncoguia - Você teve efeitos colaterais? 

Marcelle Costal - Ainda não tive efeitos colaterais severos. Sinto uma dificuldade em comer verduras e peixe na semana em que faço a quimioterapia. Também tenho muita insônia e uma péssima qualidade de sono. Outro efeito colateral que merece ser mencionado é a prisão de ventre. 
Instituto Oncoguia - Como foi a relação com o seu médico?

Marcelle Costal - Todos os médicos que passaram por minha trajetória agilizaram tudo e me deram muito apoio, carinho e força. Foram maravilhosos e super cuidadosos. Passei por alergista, pneumologista e onco-ortopedista até chegar na hematologia. É sempre um clima de parceria e cumplicidade. Deixo aqui a minha gratidão eterna por serem humanos, atenciosos e grandes amigos.
Instituto Oncoguia - Com que outro profissional você se relacionou? 

Marcelle Costal - Com uma enfermeira, uma grande amiga, afilhada e madrinha. A Nanda com suas mãozinhas de fada cuidou muito bem dos meus pontinhos na cirurgia de biópsia e sempre está a tirar um pouco minhas dúvidas e a me aconselhar.

Instituto Oncoguia - Você fez acompanhamento psicológico?

Marcelle Costal - Não.

Instituto Oncoguia - E com nutricionista?

Marcelle Costal - Sim. Minha outra grande amiga, de infância e de escola, que também trabalha o HUCFF e esteve comigo em minha cirurgia. A Carol fez uma dieta maravilhosa para evitar o consumo exagerado de açúcar e gordura, além de dar um aumento na minha imunidade.

Instituto Oncoguia - Você está em tratamento ou já finalizou?

Marcelle Costal - Ainda estou em fase de tratamento e faltam dez sessões de quimioterapia.

Instituto Oncoguia - Como está a sua vida hoje? 

Marcelle Costal - Estou muito feliz! Nunca pensei que fosse tão amada! O amor é a meta de minha vida e quero espalhar ele por aí com a minha vida. Recebo muito incentivo e carinho para enfrentar esta batalha contra o tal Hodgkin de pessoas que eu nunca imaginei e de que nunca pensei em conhecer. Sou agradecida a Deus por minha família que está sempre presente, todos dando a vida por mim, desde a minha existência, abraçando as minhas causas. Sou feliz por meu marido que é outro presente lindo que Deus me enviou, também é a minha força diária, meu cúmplice na saúde e na doença, na alegria e na tristeza. Meus amigos que são a presença de Deus em minha vida, com suas orações e seus atos. Estou cercada de muito amor e não poderia ser melhor.

Instituto Oncoguia - Conte-nos sobre seu trabalho e planos para o futuro.

Marcelle Costal - Sou professora há um ano e meio. Lecionava Filosofia e Sociologia e só recentemente comecei a lecionar História, que é realmente a minha formação original. Neste meio tempo veio a doença e tive que parar tudo de repente. Passei a questionar muitas coisas e quero começar outra faculdade, voltar a estudar novas áreas. Estou me redescobrindo como pessoa!  Também quero fazer uma mega viagem com meu marido,  quem sabe rir disso tudo em Paris! Basta me dizerem, toma aqui tu está curada!
Instituto Oncoguia - Que orientações você daria para alguém que está recebendo o diagnóstico de câncer hoje?

Marcelle Costal - O passo mais importante é a tranquilidade e a fé que é um pressuposto da tranquilidade. É encarar tudo como uma fase natural da vida. Quando eu era criança na aula de ciências, ouvi uma frase que marcou pra sempre a minha vida. O ser vivo nasce, cresce, se reproduz e morre. Quando estava na fase da dúvida se era ou não um câncer, minha mãe sempre falava: não vai ser nada, quando eu sabia por dentro que na verdade iria ser algo difícil. Quando resolvi contar isso pra ela que sentia que iria ser algo, mas que estava pronta pra tudo, ela falava: Ai minha filha vira essa boca pra lá! E eu respondia mãe é a vida a gente cresce, nasce, se reproduz e morre. E eu e meu pai vivíamos gargalhando disso. Podemos acrescentar muitas etapas ao ser humano, outras podem ser interrompidas bruscamente e até podemos tirar a parte da reprodução, pois a vida humana é feita de escolhas. E a vida é assim, natural como ela só e cabe a nós escolhermos o que queremos ser diante de tudo isso. Eu escolhi viver e crescer com cada etapa do câncer.

Instituto Oncoguia - Qual a importância da informação durante o tratamento de um câncer?

Marcelle Costal - A informação é a base de um tratamento bem sucedido. Quanto mais cedo conhecemos os sintomas, mais fácil é a cura. E graças a Deus soube reconhecer as dores no tempo certo.

Instituto Oncoguia - Você buscou se informar? 

Marcelle Costal - A cada nova informação sobre a manifestação da doença em meu corpo eu  ia pesquisar em sites confiáveis para conhecer melhor o problema. Assim fui conhecendo o Instituto Oncoguia, a ABRALE e tomando coragem para ver os casos reais em blogs. Todavia, conversar com os médicos é a melhor opção, pois cada caso é um procedimento diferente. Mesmo que a apresentação da doença seja a mesma, cada corpo reage de forma diferente e nunca devemos nos basear totalmente na história de uma pessoa que passou por isso.
Instituto Oncoguia - Como você conheceu o Oncoguia? 

Marcelle Costal - Pesquisando alguma plataforma que saísse do básico e me oferecesse exemplos reais de superação da doença.

Instituto Oncoguia - Você tem alguma sugestão a nos dar?

Marcelle Costal - Vocês são uma luz para todos os pacientes com câncer e englobam tudo que eu poderia imaginar sobre o câncer.
Instituto Oncoguia - Você sabia que possuímos um trabalho focado na melhoria da situação do Câncer no Brasil? Estamos sempre em contato com políticos e gestores que podem ajudar a melhorar as políticas públicas brasileiras relacionadas ao câncer. Se você fosse mandar um recado para um político, o que você gostaria que mudasse ou melhorasse considerando tudo o que você passou?

Marcelle Costal - Como meu plano de saúde ainda não tem a carência necessária para começar um tratamento de câncer, estou me tratando em um hospital público, o HUCFF, uma referência e uma bênção. Graças a Deus tive referências e minha entrada lá foi rápida, na verdade por lei foi como deveria ser para todos. Contudo, ter o atendimento previsto por lei ao paciente com câncer é uma sorte e uma luta! Muitos demoram a serem informados por não conseguirem prontuários ou por atrasos nos aparelhos de tomografia, ressonância, cintilografia e afins, pois estão quebrados ou sem material. Eu também tive a sorte de ter uma família que me ajudou a pagar os exames particulares quando eu já não podia mais arcar, pois se dependesse dos órgãos governamentais  que planejam essa área, atrasaria muito a descoberta e o começo do tratamento. O tempo é algo precioso para o paciente com câncer muitos não conseguem esperar o tempo que o governo exige de nós com sua falha de planejamento ou omissão. O HUCFF sobrevive pela humanidade e comprometimento dos profissionais que lá estão! Está caindo aos pedaços quanto a sua estrutura física. Fica aqui o meu alerta para os políticos em ano de eleição!


Médicos arrancam órgão de criança viva e são absolvidos pelo CRM

Eu, Helena, autora desse blog tenho plena convicção disso. Um médico sacana que atende num hospital (Pau da Lima) de "referencia" em Salvador tirou e colocou varias próteses de silicone em mim. Diversas cirurgias. Era um morto de fome. Ganhava alguns trocados por cada cirurgia porque o meu plano pagava um pouquinho melhor, alguns trocados a mais. Pensei que o CRM fosse uma instituição séria. Fiz representação, deu em nada. O CRM disse que não tinha provas, muito embora eu tivesse fornecido todas as provas. Depois pensei: Meu Deus, como fui tola, como eu vou prestar queixa de médicos na empresa deles próprios????


Médicos condenados pela justiça por forjar a morte de uma criança e traficar seus órgãos através de uma Central clandestina são absolvidos em um conselho de “ética” do CRM – Relembre o caso.

http://meublogdepolitica.wordpress.com/2014/04/21/crm-absolve-medicos-condenados-por-trafico-de-orgaos/

Visitantes

Amigos agradeço as visitas e os comentários. Vou pedir gentilmente para clicarem em cima da planta no lado direito. Leiam. Encontraram tudo  o que desejam e muito mais, pois por esses dias tenho recebido ligações de pessoas amorosas, com suas angústias perguntando-me coisas que estão escritas por lá. Tem inclusive um tutorial. Podem ligar, é por isso que disponibilizo meu contato, porém no momento dedico as horas todas do dia a construir um projeto para mestrado, então caso não encontrem nesse local o que querem, então liguem. Beijo. Saúde. Paz!

Paginas excluidas desse blog

Gente tenho recebido denuncias de leitores que as páginas, muitas delas não existem. Mas como? Quem está agindo? Vou tomar as providencias. Vou checar. Pesquisar quais sao as paginas essas, excluídas. Os seus conteúdos.